quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O Pequeno Príncipe



Ola queridos visitantes do nosso blog, nesses meses de férias tive o prazer de reler e assistir um clássico da literatura infantil “ O Pequeno Príncipe”, que é também um livro de adulto, “pois todo homem traz dentro de si o menino que foi”. Alguns escritores não o considera uma literatura infantil, por tratar de alguns assuntos cujo para “eles” as crianças não são capazes de entender, estes assuntos trazem alguns questionamentos sobre : a preguiça, o orgulho, a vaidade, a autoridade, a ganância, o compromisso,fidelidade e principalmente sobre a amizade
O livro retrata a imaturidade dos adultos em compreender as crianças, necessitando sempre de uma explicação. Mostra a inocência e imaginação da criança, o verdadeiro valor da amizade. Umas das partes que mais gosto e que irá discorrer sobre esse tema é quando encontra a raposa. Segue abaixo:

"E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia - disse a raposa.
- Bom dia - respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
- Eu estou aqui - disse a voz -, debaixo da macieira...
- Quem és tu? - perguntou o principezinho.
- Tu és bonita...
- Sou uma raposa - disse a raposa.
- Vem brincar comigo - propôs o principezinho. - Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo - disse a raposa. - Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa - disse o principezinho. Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
(...)
- Eu procuro amigos. Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida - disse a raposa. - Significa "criar laços"...
- Criar laços?
- Exatamente - disse a raposa. - Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil garotos. Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro.
Serás para mim único no mundo. Eu serei para ti única no mundo...
(...)
- A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa. - Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
(...)
- Os homens esqueceram essa verdade - disse a raposa. - Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... - repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
Só se ver bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos. Foi o tempo que perdeste com a tua rosa que a fez tão importante. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Só as crianças sabem o que procura,só as crianças conhecem o verdadeiro sentido das coisas.
Portanto, indico que trabalhem esse livro com as crianças, pois elas são altamente capazes de entende-lo e compreende-lo. Falo com tanta convicção, pois já fiz o teste. Vivemos em um mundo onde sentimentos, valores, virtudes estão sendo esquecidos, e nada melhor do que plantar essas sementinhas desde de cedo, e esse livro é umas das melhores formas de dar início a virtudes tão necessárias e importantes para a nossa convivência e o bem –estar de si próprio. Quem já teve o prazer de ler irá de concordar comigo e para quem não leu segue abaixo o link.
http://pt.scribd.com/doc/507625/pequeno-principe
Tenha uma boa leitura!!!!!
E quem quiser assistir o filme ele está disponivel no you tube.
Aproveite!!!



Maria Jucineide de Sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião...