sábado, 14 de agosto de 2010

COMO UM ROMANCE- DANIEL PENNAC

PENNAC,Daniel- Como um romance;tradução de Leny Werneck. - Porto Alegre,RS: L e PM; Rio de Janeiro: Rocco,2008. 152 p.- (coleção L e PM Pocket; 722)


COMO UM ROMANCE, UMA OBRA DE DANIEL PENNAC TRADUZIDA POR LENY WRNECK,DISPOSTA EM QUATRO PARTES, 57 CAPÍTULOS SUCINTOS ATÉ A III PARTE,SENDO QUE NA PARTE IV O AUTOR APONTA OS DIREITOS INPRESCINDÍVEIS DO LEITOR, QUE SÃO DEZ.
O LIVRO FALA SOBRE A LEITURA E, AO LONGO DO MESMO, É ABORDADA COM SUTIS CRÍTICAS QUE CONSEGUEM PENETRAR O ÍNTIMO DE QUEM LÊ.
SUA PRIMEIRA E PRINCIPAL CRÍTICA É ACERCA DA LEITURA COMO DOGMA. PENNAC UTILIZA-SE DA IMAGEM DE UM MENINO QUE, SUBENTENDE-SE SER ELE MESMO,PRECISA TERMINAR DE LER UM LIVRO DE QUASE 400 PÁGINAS, SENDO ESTE UMA TAREFA DA ESCOLA.O MENINO FAZIA DA LEITURA UM FARDO QUE AUMENTAVA DE TAMANHO SOB O OLHAR DAS PRESSÕES EXTERNAS: PAIS E PROFESSORES...
O AUTOR TAMBÉM CRITICA O MODO METÓDICO COMO A ESCOLA TRATA A LEITURA,O QUE PROVOCA UM DISTANCIAMENTO ENTRE LEITORES E LIVROS. AQUELES TRAZEM EM SI O MEDO QUE ALIMENTA A MÁ VONTADE EM LER.ESTE MEDO É O DE NÃO COMPREENDER QUE, MUITAS VEZES, REFERE-SE AO RECEIO DE NÃO CORRESPONDER ÀS EXPECTATIVAS DE QUEM IMPÕE A LEITURA.
DANIEL PENNAC APRESENTA IMPORTANTES DICAS DE RECONCILIAÇÃO COM A LEITURA COMO "NÃO PEDIR NADA EM TROCA"(p. 110), NÃO ENCARÁ-LA COMO UM DEVER ATÉ PORQUE A CURIOSIDADE E A VONTADE SÃO DESPERTADAS E NÃO FORÇADAS.
PENNAC OFERECE PRECIOSAS PISTAS AO SEU LEITOR DE COMO DESPRENDER A LEITURA DAS ESTRELAS E ASSIM INFECTAR OUTRAS PESSOAS COM O GOSTO DE LER. O PRÓPRIO AUTOR DIZ QUE "NÃO HÁ MELHOR MANEIRA DE ABRIR O APETITE DE UM LEITOR , DO QUE LHE DAR A FAREJAR UMA ORGIA DE LEITURA"(p. 112).
SEGUNDO O AUTOR, OS LIVROS NÃO FORAM FEITOS PARA QUE SE EMANEM COMENTÁRIOS A SEU RESPEITO, MAS PARA SEREM LIDOS. ENTRETANTO, NOSSA VIDA EM SOCIEDADE, EXIGE QUE SAIBAMOS COMENTÁ-LOS E ASSIM, COMO DIZ PENNAC, "O COMENTÁRIO REINA ABSOLUTO A PONTO DE ESCONDER O OBJETO COMENTADO"(p. 119). ESSE FENÔMENO, DE ACORDO COM ELE,CHAMA-SE COMUNICAÇÃO, QUE SEMPRE NOS IMPÕE A RETÓRICA DO MERCADO...
DANIEL APONTA COMO POSITIVO O FATO DE PAIS LEREM HISTÓRIAS PARA SEUS FILHOS DESDE DE CEDO, E CONTÁ-LAS DE MODO A INSTIGAR E AGUÇAR A CURIOSIDADE, COM PRAZER, ATENÇÃO E RESPEITO À OBRA E AO LEITOR(OUVINTE).
AO FINAL DA LEITURA DE COMO UM ROMANCE, REVELA-SE O MISTÉRIO DA PEDRA FILOSOFAL QUE ENVOLVE A MAGIA DA LEITURA E A DESCOBERTA DO LEITOR EM POTENCIAL QUE EXISTE EM TODOS NÓS.


RITA DE CÁSSIA (PEARL CASTLE)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

SEM REBUÇO, CRUDU.

E me dou o direito de errar sem me cobrar, e acertar sem me gabar, porque descobri, no caminho incerto da vida,
que o mais importante é decidir.
E decidi, de uma vez por todas, ser feliz e esse caminho não tem volta!!!

(Paulo Roberto Gaefke Apud Sil do "Entre Aspas")




(...) E hoje, repetindo Bataille:
"Sinto-me livre para fracassar."

(Hilda Hilst Apud Sil do "Entre Aspas")


RITA DE CÁSSIA (PEARL CASTLE) 


**Q SE TENHA CLARO QUE HERRAR É UMANO, E QUE APRENDER COM OS ERROS É MAIS HUMANO AINDA. O FRACASSO NÃO É NADA SE VC O ENCARA COMO UM OBSTÁCULO POSITIVO E NECESSÁRIO PARA O CRESCIMENTO.
CRUDU MTO CRUDU, ASSIM SOU EU.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SINCERAMENTE...

QUEM É QUE FALA POR VOCÊ?
NATURALMENTE VC DIRIA: ORA! EU MESMO.
MAS NÃO É EM TODAS AS SITUAÇÕES DA SUA VIDA Q VC FALA POR SI. NAS ELEIÇÕES VC DELEGA RESPONSABILIDADES A ALGUÉM E DEPOIS NEM COBRA, - ACOMODADO!!-.
E O MAIS ENGRAÇADO É QUE TEM GENTE QUE ACHA QUE É MTO CAPAZ DE FALAR PELOS OUTROS, AINDA MAIS SE ESSES OUTROS SÃO CRIANÇAS: OS MINIADULTOS,OS TÁBULAS RASAS, AS MASSINHAS DE MODELAR,OS COITADINHOS QUE Ñ SABEM LER NEM ESCREVER,Ñ SABEM DE NADA!!!
QUE DISCURSO MAIS CAPENGA E MEDÍOCRE HEIN?
ATÉ PARECE Q AS CRIANÇAS SÃO TAPADAS E IDIOTAS.
HÁ PESSOAS TRABALHANDO NA EDUCAÇÃO QUE TÊM A CONVICÇÃO DE QUE AS CRIANÇAS SÃO SERES SEM RAZÃO...
ATÉ ENTENDO QUE MTAS DESSAS PESSOAS FAZEM ISSO POR Ñ SABEREM MESMO ,MAS NADA JUSTIFICA UM PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO,EM TESE, FORMADO E QUALIFICADO PARA TRABALHAR NESSA ÁREA, QUE FAZ DISCURSOS INFLAMADOS CONTRA ESSA LINHA DE PENSAMENTO PORÉM AO MESMO TEMPO AGE DE FORMA TÃO GROTESCA CONCORNDANDO COM TAL POSIÇÃO, AO INVÉS DE SENTAR E DISCUTIR A RESPEITO DA PROBLEMÁTICA A PROCURA DE SOLUÇÕES...
DEPLORÁVEL SITUAÇÃO...
ME DESCULPEM SE FUI GROSSA, MAS ISSO ME INCOMODA DE UM MODO....
REPARE BEM QUE VOZES É QUE VC DEIXA Q SE MOSTRE AOS OUTROS E QUAIS É QUE VC SUFOCA. SE TIVER CONSCIÊNCIA, SABERÁ DISTINGUIR.


RITA DE CÁSSIA (PEARL CASTLE)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Analise do texto "O que é leitura" Maria Helena Martins

O livro "O que é leitura" da autora Maria Helena Martins nos apresenta inúmeras questões a serem consideradas por nós futuros pedagogos, sobretudo, como bolsistas do PIBID, haja vista nossa atenção está centradas em desenvolver atividades de práticas de leitura que formem novos leitores. A obra nos traz pontos importantes de serem refletidos, como a tese defendida pela autora de não se pensar a leitura estritamente no terreno dos escritos, más percebermos que fazemos diferentes leituras do contexto mais geral no qual estamos inseridos, e que essas leituras que iniciam no nível pessoal vão se ampliando no decorrer das experiencias da vida.
Asssim, a autora nos traz novos horizontes para se pensar a leitura, ou melhor as diversas leituras que nos são solicitadas nos diferentes momentos da nossa vida, ter domínio dos mecanismos que constituem essas situações nos permite não só compreende-las mas intervir quando necessário.
Entre muitos pontos interessantes da obra, é notável que ao afirmar que a escola se configura como oportunidade única para alguns alunos de ter contato com a leitura, a autora nos induz a pensar no modo como a leitura tem acontecido, se tem sido limitada aos livros didáticos, ou se estendido a outras leituras que possam contribuir para alargar a visão dos alunos, despertar a sensibilidade, a criticidade, ou tem servido como ponte para estudar aspectos estruturais na aula de portugues.
Devemos considerar que os niveis de leitura apresentado pela autora servem de norte para planejarmos nossas atividades, pois facilita a percepção do nivel em que cada aluno se encontra no ato de ler , seja no nivel sensorial- leitura através dos sentidos- seja no nivel emocional- no campo das emoções/sentimentos- ou ainda no nível racional- enfatizando a razão a partir de normas preestabelecidas ou quando interrelacioná-los na leitutra. Nesse sentido, ter conhecimento destes nos forneceu elementos que torna possivel a compreenssão das diferentes reações dos alunos frente a leitura.
De todo modo se pretendemos alcançar a leitura efetiva nos nossos alunos, que nas palavras da autora essa efetividade ocorre quando se consegue promover a descoberta, a fantasia, a autonomia, a consciência da realidade, envolvendo as mais diferentes leituras das expressões da construção humana, a partir de uma perspectiva mais ampla que relaciona componentes sensoriais, emocionais e racionais, devemos nos atentar para o que é de interesse do aluno, buscando despertar o gosto pelo o que lhe é desprezado, tendo consciencia que sua atitude amistosa ou conflitante no ato de ler , resulta de alguma situação vivencida anteriormente.
Portanto, fazer a leitura do livro foi de grande valia para nós, pois nos trouxe novos horizontes frente ao processo de aquisição da leitura, nos mostrando que não é um processo simples, mas algo que requer uma atençao especial, pois necessitamos desta por toda a vida, não no sentido mais elementar de codificar e decodificar os signos, todavia no sentido mais efetivo do ato de ler.

Acadêmica: Raiolene Matos